Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas de um Planespotter

Fotografia Aeronáutica | Spotters | Foto-Reportagens | e mais umas coisas giras...

Crónicas de um Planespotter

Fotografia Aeronáutica | Spotters | Foto-Reportagens | e mais umas coisas giras...

"Baptismo" de voo.

Boas tardes. 

 

Depois de uma utopia de cancelamentos sobre o meu "baptismo" de voo numa aeronave ligeira, consegui por fim, combinar um voo e ir voar pela primeira vez num avião, daqueles que todos já vimos em filmes e não só, e que para quem gosta minimamente de aviação, um aeronave deste tipo cai sempre no desejo de um dia poder-mos entrar no seu interior e voar. 

 

Pois bem, nesse sábado de Maio, consegui realizar um desses "digamos assim", sonhos, ou desejos. Descolamos de Tires, para um voo curto até, Peniche. Nesse mesmo dia trabalhava e não pude abusar do tempo. Uma hora, foi o que durou o voo, e uma hora cá em baixo, parece dez minutos lá em cima. Passou literalmente a "voar". Aterramos tranquilamente na pista "35", e o desejo de continuar não tinha ficado por ali.  

 

Uns dias mais tarde, o Helder Escada (Piloto do Cessna), ligou-me e perguntou se queria voltar a voar, e agora por um pouco mais tempo do que o anterior... Não hesitei e combinamos o dia. Um dia de folga, e logo num dia pleno de verão. Afinal, é tudo o que se pretende. Meteorologia no ponto, boa visibilidade e vamos embora!!  

Neste dia, rumamos a sul. Alcácer do Sal, seria o ponto de retorno a Tires. A serra da Arrábida, Tróia, Lagoa de Albufeira, Alcácer do Sal, e Comporta, a cerca de mil pés de altitude, têm outro encanto!

 

Para quem gosta de fotografia, aconselho vivamente a fazer um voo deste tipo. Tiram-se fotografias fantásticas. Eu tenho as minhas e com o tempo, vão começar aparecer por ai.

 

Fiquemos por agora, com um vídeo amador desses meus voos no Cessna 172 CS-APN.

 

Queria deixar publicamente, uma nota de agradecimento, ao Helder Escada, pela disponibilidade e ao meu amigo e colega, companheiro também de voo, o, Ricardo Santos! 

 

 

 

 

Planespotter de Junho, Duarte Gomes.

Era impensável da minha parte, e talvez injusto, senão me lembrasse do Duarte, um spotter que tal como eu, nutre por duas paixões um pouco distintas.  Comboios e aviões!

Antes de ir, quero deixar aqui publicamente, o meu agradcimento a ele, por toda a grande ajuda que tem sido para mim, neste "mundo novo" que é o da aviação. Obrigado!

 

 

Perfil                                                                                          

IMG_8421

 

Nome: Duarte Gomes                                            

 Idade: 30

 

 Estado civil: Solteiro

 

 Data de Nascimento: 14/03/1985

 

 Profissão: Estudante

 

 

 

 

Duarte, quando descobriste o gosto pelos aviões?

Os meus Pais eram tripulantes da TAP, bem como muitas das pessoas com quem se davam, pelo que nasci e cresci no mundo da aviação. Não digo que esta seja uma paixão desde criança pequena, pois não é verdade, mas por volta dos meus 8 ou 9 anos começou a crescer dentro de mim alguma curiosidade e entusiasmo, que foi crescendo à medida que o tempo passava. Acho que foi numa ida a Paris com a minha Mãe, um mês antes de fazer 11 anos, que despertou o gosto que tenho hoje.

 

Há quanto tempo, fotografas aviões?

Desde início de 2002, muito esporádicamente, pois na altura usava uma câmara compacta ainda de rolo, sendo a revelação muito cara. Foi em 2004, quando comprei a minha primeira câmara digital já melhorzinha, que comecei a ir mais para o aeroporto para fotografar e não apenas ver.

 

Registas matrículas, esquemas de cores, ou as duas?

No início, fotografava apenas esquemas de cores. Entretanto, ao descobrir que um certo avião da Air France já tinha pertencido à TAP, que por acaso nesse dia estava a caminho de Lisboa ao serviço da companhia francesa. Aí comecei a ter curiosidade no historial de cada avião, pois cada um tem uma história diferente e aí comecei então a interessar-me pelas matrículas. Agora posso dizer que registo as duas coisas, pois se aparecer um determinado avião que eu já tenha registado a sua matrícula, se a certa altura receber alguma pintura diferente, mesmo mantendo a matrícula, lá irei à procura dele.

 

Tens noção de quantos registos já tens?

Ao certo não, mas se disser uns quatro mil não devo andar longe. Tenho a contabilidade um pouco atrasada e falta-me incluír na minha base de dados os registos dos últimos 10 meses.

 

Até onde já foste só para fotografar aviões?

Esta pergunta poderá ter duas respostas. Especificamente com o intuito de fotografar aviões, fui a Madrid. Há uns meses, com o objectivo de voar num certo tipo de avião, fui até à Alemanha, a Frankfurt e, embora o objectivo desta viagem não fosse especificamente fazer spotting, acabei por passar dois dias a fazer spotting e um terceiro novamente em Madrid, no regresso da Alemanha.

 

Tens algum aeroporto de “sonho” para ir fotografar?

Não propriamente, mas tenho alguma curiosidade de um dia fotografar em Londres/Heathrow, um dos aeroportos mais movimentados da Europa e com grande variedade de companhias e modelos de aviões. Gostava de um dia fotografar também em Boston, que é uma cidade que adoro e de onde tenho visto fotografias maravilhosas ao por do Sol com a cidade como pano de fundo. Innsbruck na Áustria também me desperta alguma curiosidade, não tanto pelo movimento em si, mas pela envolvente alpina, que dá umas fotos fantásticas. Tenho alguma curiosidade em fotografar na Escandinávia, não tanto pelos movimentos mas pela neve, pois adoro fotos com neve e adorava fotografar na neve e aliar este tipo de fotografia ao plane spotting. Por fim, não propriamente um sonho, mas uma curiosidade especial, a famosa Saint Maarten, nas Antilhas Holandesas, onde a pista está à distância  de uma estrada de duas faixas em relação à praia e, por isso, os aviões passam ali muito baixinhos, também com alguma variedade no tipo de tráfego, desde privado, regional, médio curso a aviões grandes, de longo curso que vêm da Europa com turistas.

 

Também és daqueles que quando está em casa, e ouve um avião a passar, vai a correr ver que aeronave se trata?

Depende, porque como moro, desde sempre, sob a rota de aproximação à pista principal do Aeroporto de Lisboa, já me habituei ao barulho dos aviões, passando-me muitas vezes despercebido. No entanto, se por acaso ouvir algo estranho com antecedência suficiente que me dê tempo de ir à janela, lá vou eu a correr.

 

Boeing ou Airbus?

Ambos são bons, com filosofias de funcionamento bastante distintas, mas ambos cumprindo a sua função: voar. No entanto, 

tenho uma admiração especial pela filosofia da Boeing, mais consrvadora daquilo que é pilotar um avião, face ao excessivo automatismo da Airbus. Esteticamente gosto imenso de ambas as construtoras, ainda que haja modelos de uma e outra de que gosto e outros de que não gosto tanto. Talvez prefira, novamente, a Boeing, pela maior variedade a nível de design, ainda que haja alguns modelos de que não goste e há modelos da Airbus de que gosto bastante esteticamente.

 

Qual o teu modelo de avião civil que mais simpatizas? Porquê?

Gosto imenso do Airbus A330 e do A340 esteticamente. Gosto também imenso do Boeing 777 e 787, não só pela estética de ambos como a nível tecnológico. O 777 porque foi o primeiro avião totalmente desenhado por computador, bem como muita tecnologia incorporada no avião, pela generalização do uso dos computadores e ferramentas inerentes, não deixando, ainda assim, como já disse, a filosofia de “quem comanda é o piloto, não a máquina”. O 787 por vários motivos: estética bastante futurista, ou moderna, um pouco diferente do habitual, com muita tecnologia nova, não só para ajudar os pilotos, como também para conforto dos passageiros. E ambos (777 e 787) são dos aviões mais silenciosos que há por aí a voar.

 

Tens algum avião em mente que já está em museu, mas que gostarias de voltar a ver a voar?    

IMG_8396

 Concorde. Vi alguns ao vivo, mas adorava voltar a ver (e ouvir) e adorava fotografar.

 

Para ti ser spotter, é…?

Para mim, ser spotter, além de ver e registar aeronaves é, em qualquer lugar do mundo, conviver com desconhecidos como se de amigo de longa data se tratassem e falar uma mesma linguagem universal: a aeronáutica.

 

O que acham os teus amigos, desta tua paixão?

Muitos partilham da mesma paixão, outros que não tenham esta mesma aceitam e respeitam, pois cada um tem os seus gostos. Mas que também há quem não compreenda qual o interesse de ver ou fotografar aviões, há. Mas respeitam sempre.

 

O que achas ou achavas do tema mediático que foi há uns anos, sobre o novo aeroporto da Ota para substituir o velhinho da Portela?

Lisboa precisa de um novo aeroporto. Se por um lado a capacidade das pistas é suficiente, por outro, terminais de 

passageiros e locais de estacionamento de aviões estão aquém da procura. Estando a Portela no meio da cidade, qualquer expansão é difícil. Assim sendo, é necessário outro aeroporto, não para substituír a Portela, mas para complementar, seja lá onde for, desde que sejam construídas ligações de transportes decentes, não como o caso de Beja, por exemplo, que está no meio do “nada”, sem ligações a lado nenhum, seja por comboio, praticamente inexistentes, e ainda assim longe do aeroporto, ou por estrada, que está muito deficitária também seja para que lado for.

 

Sobre outro tema mediático, que é a privatização da Tap e sobre os seus prós e contras, qual a tua opinião relativamente a este assunto?

Não sou contra nem a favor. Há privatizações bem feitas, que deram resultado, outras que atiraram as empresas para o abismo. Tudo depende das “mãos” em que a empresa caír. Há que ser estudada e bem estruturada, salvaguardando e garantindo que continua a servir o país, os seus habitantes e não apenas o seu dono ou interesses políticos. E a estratégia de privatizar só “porque sim” à pressa, a qualquer preço, ao “desbarato”, não me parece boa.

 

Caro, Duarte, mais alguma coisa que possas acrescentar?

De momento não me lembro de nada relevante, a não ser agradecer pelo convite a esta entrevista, a que tive imenso prazer em responder e dar a conhecer o meu ponto de vista e este meu gosto pelo mundo que é o plane spotting, que é uma das muitas vertentes da aviação.

 

Obrigado pela tua participação, Duarte. Abraço!

 

IMG_8401

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A relíquia DC3

Domingo passado, fiquei até de madrugada a ver videos no "youtube" sobre o DC3. Por momentos desejei que a dita aeronave do século XX, viesse nos próximos tempos visitar, Portugal. Dias depois, eis que por coicidência ou não, estou ao pé do dito, a "babar-me" literalmente como se de uma criança se tratasse. É daquelas coisas que não tem explicação, apenas gosta-se! 

 

Duas folgas "perdidas" (salvo seja), para estar de perto desta reliquia. Fotografa-la, observar, sentir os cheiros. Uma terapia de bom gosto!  

 

Estou ansioso para vos mostrar umas quantas fotos e escrever mais algumas coisinhas, mas para mim, começa uma semana de trabalho e agora vou dormir. Mas fica a promessa ;)

 

Cumprimentos! 

IMG_8441

 

Planespotter de Maio, Nelson Ribeiro.

 

Como já tinha privado com alguns amigos e outros tantos conhecidos do mundo da aviação, um dos objectivos que criei este blog, foi tentar dar a conhecer um pouco do pessoal que passa, algumas horas atrás das redes do aeroporto a fotografar aviões. 

Em jeito de reportagem, resolvi entrevistar, mensalmente, um spotter. Neste mês de Maio, que está praticamente no fim, o "tempo de antena", vai para o Nelson Ribeiro.      

 

Perfil

Nome: Nelson José Simão Ribeiro

Idade: 23

Estado civil: Solteiro

Data de Nascimento: 20-04-1992

Profissão: Carteiro

 

IMG_7490

 

 

Nelson, quando descobriste o gosto pelos aviões?

Como é sabido pela maioria do pessoal que me conhece, o meu hobby sempre foram os comboios, mas desde sempre achei a sua piada aos aviões, nomeadamente quando passava por Lisboa em visitas de estudo, e não só, e via “as máquinas” a passar bem baixo pela cidade. Há cerca de 2 anos, conheci o flightradar24 e achei aquilo algo extremamente interessante, desconhecia por completo. Entretanto pelo mês de Janeiro de 2014, após um dia de trainspotting pouco produtivo, a meio da tarde, eu, Bruno Lima, e João Gamito, rumámos até ao aeroporto. Tirei umas quantas fotos pois era tudo novidade para mim. Mais tarde, aquando a saída de Lisboa do avião dos Rolling Stones, dei comigo a ir de propósito até ao aeroporto por esse avião. Aí, apanhei mais umas quantas “coisas engraçadas”. Ao fim de um tempo quando fui ver a pasta das fotos de aviões, vi que já tinha ali uma boa colecção de “cromos”, entre eles, umas visitas raras pelos nossos lados. Comecei a levar o planespotting mais a sério, a organizar as fotos por companhias aéreas. E aos poucos fui indo até ao aeroporto de Lisboa praticamente todos os fins-de-semana e sempre que vinha um avião “raro”. Em Dezembro de 2014, fui a Madrid durante 3 dias apanhar o que por lá voa. Uma experiência bastante motivadora e rentável, pois trouxe bastantes fotos novas para a colecção. E assim aos poucos me fui interessando pela aviação, agora é continuar a viajar pelos aeroportos do mundo.

 

 

Há quanto tempo, fotografas aviões?

Desde Janeiro de 2014.

 

 

Registas matrículas, esquemas de cores, ou as duas?

Matrículas não registo, requer muito tempo. Faço a colecção por cores, por companhias e modelos, por exemplo, se aparecer um KLM Boeing 737 é provável que o deixe passar porque já tenho, mas se aparecer um KLM Boeing 747 aí sim, faço os possíveis para estar no aeroporto.

 

 

Tens noção de quantos registos já tens?

Há poucos dias contei as pastas de companhias aéreas e já conto com cerca de 105, agora dentro da mesma companhia tenho vários esquemas de cores.

 

 

Até onde já foste só para fotografar aviões?

O mais longe que já fui de propósito para fotografar aviões foi a Madrid, estive recentemente em Praga de férias, aproveitei para dar um salto ao aeroporto numa tarde. Agora segue-se Londres Heathrow.

 

 

Tens algum aeroporto de “sonho” para ir fotografar?

Tenho vários aeroportos que gostava de visitar, como Los Angeles, Las Vesgas Nova Iorque, Sidney, Santos Dumont no Rio de Janeiro, Milão-Malpensa, mas aquele que mais me fascina é mesmo o de St. Maarten.

 

 

Também és daqueles que quando está em casa, e ouve um avião a passar, vai a correr ver que aeronave se trata?

Sem dúvida, tenho geralmente o flightradar24 sempre ligado, se for algo que me possa interessar venho à rua ver.

 

 

Boeing ou Airbus?

Ambos, gosto bastante dos Jumbos (Boeing 747-400), dos Airbus A340-600, dos Boeing 787 Dreamliner, mas se tiver que optar por um, é Boeing, desde sempre gostei dos 747s.

 

 

Qual o teu modelo de avião civil que mais simpatizas? Porquê?

Boeing 747-400, sempre gostei dos jumbos, desde muito pequeno, talvez por me terem oferecido 2 quando era criança.

 

 

Tens algum avião em mente que já está em museu, mas que gostarias de voltar a ver a voar?

Não sou o maior conhecedor da aviação clássica, mas espero ver sempre os MD-11, Boeing 747-4, a voar, são aqueles clássicos já com tendência a saírem de circulação.

 

 

Para ti ser spotter, é…?

Ter uma vida dinâmica. Acima de tudo, porque estar parado em casa não ajuda ninguém, penso que todos temos as nossas preferências. Aqui o gosto pela fotografia alia-se ao gosto pelos aviões, e no meio disto tudo, um grande convívio entre pessoal que partilha o mesmo gosto.

 

 

O que acham os teus amigos, desta tua paixão?

Uns, acham que é locura, outros acham curioso e interessante, e os que partilham a mesma paixão, sabem bem que é um vício saudável.

 

 

O que achas ou achavas do tema mediático que foi há uns anos, sobre o novo aeroporto da Ota para substituir o velhinho da Portela?

Na altura não tinha grande opinião sobre o assunto, actualmente, pelo que vejo, não me parece que hajam condições económicas para a construção de um novo aeroporto nem necessidades que justifiquem essa construção. O aeroporto da Portela parece-me ser suficiente para os movimentos do dia-a-dia e está bastante bem central na cidade de Lisboa.

 

 

Sobre outro tema mediático, que é a privatização da Tap e sobre os seus prós e contras, qual a tua opinião relativamente a este assunto?

Na minha opinião, nada devia ser privatizado, é nacional, é português, é do estado, é nosso!

 

 

Caro, Nelson, mais alguma coisa que possas acrescentar?

Sim, posso acrescentar que uma das coisas que também me levou a fotografar aviões, foi o facto do caminho-de-ferro em Portugal estar a decaír aos poucos, está a ficar monótono para quem fotografa comboios, houve assim necessidade de abrir horizontes e dedicar-me a este novo campo da fotografia, o qual é extremamente interessante.

 

Obrigado!                                          

 

IMG_7487

 

HOTBRONZE... Blade.

Dia autêntico de verão, uns 30 graus por ai, talvez um pouco mais, e onde estava eu? A destilar no spottersday do HOTBLADE, edição 2014.  Numa base aérea tão relativamente perto da praia, como a é de, Ovar, bem que podiam ter criado uns caminhos para irmos até à praia. Sou uma pessoa que sofre bastante com o calor, e estar depois de um belo repasto sobre um calor abrasador sem sombra nenhuma, umas duas horinhas, é obra!  Valeu a pena, claro que sim, mas fiquei com um bronze, que vos vou contar, aliás, vou-vos mostrar!   

 

Agradeço à Célia Maria, que nesse dia, foi mais que uma mãe para mim. Pôs-me um creme "super-eficaz" que quando cheguei a casa à noite já não sentia ardoer nenhum. Ainda hoje o tenho comigo, não vá apanhar outra "corzinha" como naquele dia.  

 

Foi monumental, foi, mas saiu-me do pelhego! 

 

8H0B7071

 

Assim nasce a paixão pelos aviões.

Boa noite. É uma da manhã e a esta hora já não me arrisco a dizer que vou escrever tudo devidamente correcto, mas vou tentar...   

 

Resolvi criar este blog para não ter que estar sempre a partilhar fotografias e textos secantes para a maioria do pessoal que tenho como "amigo" nessa coisa chamada, Facebook. É sabido que os blogs cairam à muito por terra, assim como os fóruns dos mais variáveis temas. Mas aqui, posso escrever e publicar o que quiser, e só vê quem quer, certo?! 

 

Adiante.  

Neste primeiro "post", vou como se tratasse de uma introdução/apresentação, explicar como esta paixão por aviões nasceu. Para muitos amigos, sou considerado uma pessoa pouco equilibrada, por ir logo de madrugada para as redes do aeroporto, e voltar a casa já com o sol posto... Explicações? Talvez hajam, não sei...  Mas é complicado prenuciar-me quando isto só se sente por quem passa por esta paixão.  

 

Desde que me conheço, que sou entusiasta ferranho pelo caminho de ferro e toda a sua envolvente, também saia de casa de madrugada para ir até ao norte ou sul de Portugal fotografar comboios...   Neste caso, os aviões eram vistos apenas aos domingos quando chateava os meus pais para ir até à Ruela ver os ditos a aterrar e descolar.... Até ai, era só mesmo ver com os "olhos" e guardar na memória. Os comboios estavam ainda bem presentes, e o "bichinho" por estes grandes "pássaros" estava ainda, digamos, adormecido.  Com o passar do tempo, os comboios que eu mais gostava, começaram a encostar, uns pelo peso dos anos, outros, por vontade da CP, outros, por estupidez... Comecei a perder a vontade de ir para perto de uma linha de comboio, fotografar material circulante que a mim, pouco ou nada me diz...  Comecei a ficar em casa, e só em raras excepções, lá ia eu fotografar "x" comboio algures. 

 

Neste impasse, comecei a frequentar o aeroporto, a levar a máquina fotográfica e a fotografar os aviões que iam aparecendo. Pouco ou nada percebia, e para mim, era tudo novo. 

Passaram-se uns três anos, por ai, e hoje, sempre que posso e consigo, vou para as redes do aeroporto fotografar aviões. Se vier um ou mais aviões, com pinturas novas ou matriculas, melhor ainda, mais rentabilizado fica o meu dia. É como se tratasse de uma colecção de cromos, como daquelas que qualquer puto teve na sua amável infãncia... 

O nosso computador, é a caderneta, e as nossas fotografias, os cromos! Também aqui, há os cromos repetidos, mas com uma excepão, estes mesmo repetidos, de vez em quando mundo os esquemas de cores, são adicionados "autocolantes" e mais algumas coisas giras, que faz disso, uma fotografia nova a uma aeronave que talvez já tivesse fotografado uma palete delas... 

Outro assunto que não podia deixar passar em branco, foi o facto de com esta minha nova paixão, conheci pessoal que nutre o mesmo gosto que eu. Pessoal cinco estrelas, que ajudam a passar e muito, o tempo que às vezes esperamos por uma aeronave apenas. Ao calor, ao frio, à chuva... Quando se gosta, é assim.  

 

E eu sou assim, gosto de aviões, não sou maluco!  

 

Espero que contar com a particiação de amigos do meio, pois este blog é de todos.  Antes de ir por hoje, quero deixar aqui a minha nota de agradecimento ao Duarte Gomes, por tudo o que fez por mim até ao momento. Obrigado por toda a pachorra, amigo!  

 

 

Bem...  É isto.                                                                                      

Cumprimentos, o autor do blog, Bruno Belém, 22 de Maio 2015

IMG_6472